29 julho 2009

Sobre Lula

Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores...

Lula, que não entende de economia, pagou a conta do entreguista FHC, zerou a dívida externa e ainda dá algum aos ricos…

Lula, que não entende de educação, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos e ainda criou o PROUNI, que permite que filho de pobre vá à universidade…

Lula, que não entende de finanças, nem de contas públicas, elevou o salário mínimo de 64 para mais de 200 dólares e não quebrou a Previdência, como dizia FHC…

Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo… Mas o Partido da Imprensa Golpista – PIG (Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo, O Globo, Veja, Época, Rede Globo), que entende de tudo, acha que não… (Monopolizada por meia dúzia de famílias aristocráticas, essa imprensa, que tanto distorce a imagem do governo Lula perante a nação, está a cada dia mais desacreditada e, para felicidade geral, já entrando em falência).

Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, reabilitou o Pró-Álcool, acreditou no biodisel e levou o país à liderança mundial em combustíveis renováveis…

Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, e ainda enterrou o G8…

Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu, mandou a Alca às favas, olhou para os parceiros do Sul e especialmente para os vizinhos da América Latina, onde exerce liderança sem ser imperialista, e tem trânsito livre com Chaves, Fidel, Obama, Evo etc…

Lula, que não entende de mulher nem de preto, colocou o primeiro negro no Supremo (desmoralizado por brancos), pôs uma mulher no cargo de primeira-ministra e vai fazê-la sua sucessora...

Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha do Reino Unido e afrontou nossa fidalguia branca de olhos azuis...

Lula, que não entende de desenvolvimento e nunca ouviu falar de Keynes, criou o PAC, antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora de o Estado investir, e hoje o PAC é um amortecedor da crise…

Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre…

Lula que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais, é respeitado como uma das pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual…

Lula não entende nada de nada, mas ainda é melhor que os outros…

Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha uma empatia e uma relação direta com Bush, notada até pela imprensa norte-americana, e agora já tem a empatia do Obama...

Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador, é amigo do tal John Sweeny e entra na Casa Branca com credencial de negociador, lá nos States...

Lula, que não entende de geografia, pois nunca viu um mapa, é ator da mudança geopolítica das Américas...

Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal...

Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas, faz história e será lembrado por um grande legado dentro e fora do Brasil...

Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para dialogar com Israel...

Profº. Ms. Flávio de Oliveira Carvalho
Bacharel em Ciências Sociais
Mestre em Desenvolvimento Social

Pesquisa aponta reeleição de Wagner

Uma nova pesquisa sobre a sucessão baiana e para a Presidência da República, talvez leve à reflexão alguns interessados. Porque, bem analisada, mexe com os nervos. Foi encomendada pelo Instituto Getúlio Vargas, do PTB, que, na Bahia, é presidido pelo ex-deputado e atual diretor da Sudene, Benito Gama.
Realizada em Salvador e 35 municípios do interior baiano, pelo Instituto Economic Pesquisas e Projetos. A consulta será feita também em mais seis estados brasileiros. Os agentes de pesquisa foram a campo entre os dias 8 e 16 de julho. Foram entrevistados dois mil eleitores e a margem de erro é de 2,5%.

Wagner ganha na espontânea, estimulada e no 2º turno

Na pesquisa espontânea, quando foi perguntado aos entrevistados em quem eles votariam para o governo do estado na próxima eleição, obteve-se o seguinte resultado: Jaques Wagner 24,6%, com 10,8% de rejeição; Paulo Souto 12,2% e 11,5% de rejeição; e Geddel Vieira Lima 5,7% e 4,3%. Enquanto isso, 5,7% não souberam ou não quiseram opinar.

Na pesquisa estimulada, os números são os seguintes: Wagner 35,8% e 18,1% de rejeição; Paulo Souto 27,8% e 21,4%; Geddel 14,7% e 10,8%. Brancos e nulos somaram 8,25%.

Havendo 2º turno entre os três possíveis candidatos, o atual governador ganhou de Paulo Souto por 45% contra 37%. Maior ainda é a diferença se enfrentar Geddel: 49% a 29%. Na simulação entre Paulo Souto e Geddel, o ex-governador aparece com 42% contra 31% do peemedebista.

Governo Lula segue em alta

Para 39% dos entrevistados, o governo Lula é bom e 27% o consideram ótimo. Além disso, 24% dos ouvidos acreditam que o governo é regular, enquanto 3% consideram ruim e apenas 2% escolheram a opção péssimo.

25 julho 2009

Santos adultos têm festa de meninos

Os santos adultos da Igreja Católica, Cosme e Damião, festejados neste domingo, 27, viraram meninos e gêmeos no imaginário popular. Esta tradição que resulta do encontro entre ritos católicos e a religiosidade de matriz africana transformou-se na festa em que a infância é soberana.

O doutor em antropologia e professor da Ufba, Vilson Caetano, explica que, do ponto de vista da tradição africana, é fácil entender esta celebração do “ser menino” numa dimensão sagrada.

“A criança nas religiões de matriz africana está ligada à continuidade, à riqueza e à alegria”, diz Vilson Caetano. O antropólogo explica que na tradição africana preservada na Bahia, tanto o nascimento como a morte são tratados como princípios da ancestralidade. Uma criança nascida traz com ela a continuação dos seus antepassados.

O entendimento central é marcado até por uma máxima: “Os que nascem nunca morrem”. O ciclo da vida é considerado ininterrupto. “Não no sentido de uma reencarnação cíclica, mas como uma semente que carrega as informações da nova planta. Observando a natureza, africanos e africanas elaboraram por primeiro esta noção que mais tarde vai aparecer com o nome de genética”, diz.

Se a criança já tem importância neste sistema, gêmeos ganham ainda mais força no imaginário. “As mulheres africanas em linhas gerais eram muito férteis, assim tanto a mortalidade infantil quanto a mortalidade da mãe era vista como algo particular e recebia tratamento especial. O momento de dar à luz era visto como algo cercado de cuidado. Isso também valia para os primeiros dias do recém-nascido, que em algumas culturas só era apresentado à comunidade após o 17º dia quando esta ouvia atentamente o seu nome”, diz Vilson Caetano.

Daí que não é difícil imaginar como na Salvador povoada por africanos e seus descendentes, a partir do século XVI, o culto a divindades crianças e gêmeas, os nvunji da tradição angola ou os ibeji da iorubá ganharam tanta proeminência a ponto de invadir o altar católico.

“Certamente os mabaços, como também são chamados, sempre foram invocados para proteger as famílias africanas fragmentadas e escravizadas”, completa. Um outro indício da importância do nascimento de gêmeos na tradição africana é que o filho após o nascimento deles, na cultura iorubá, recebe o nome de Doum. É por isso que, em algumas imagens, aparece o terceiro personagem, sempre menor do que os outros dois.

O nascimento de gêmeos também pode ser compreendido como riqueza e prosperidade. Por este motivo a celebração para divindades como os ibejis é marcada por distribuição de vários tipos de comida e com as crianças como convidadas de honra.
Fonte: "A Tarde"

16 julho 2009

R$ 183,4 mi desviados e o edital do DNIT para estradas baianas

O presidente do PT na Bahia, Jonas Paulo, comemora a celeridade dos governos Lula e Wagner para melhorar as rodovias federais no estado. O dirigente informa que o DNIT abriu edital para obras dos trechos de Bom Jesus da Lapa a Santa Maria da Vitória (BR-349), com 88,4 quilômetros de extensão, e entre Remanso e Casa Nova (BR-235), que liga os 74,1 quilômetros que fazem divisa entre Pernambuco/Bahia e Bahia/Piauí.

“Esse investimento poderia agora estar sendo aplicado em outras obras viárias, se não fosse o desvio de R$ 183,4 milhões repassados pelo Ministério dos Transportes para recuperação de estradas federais durante o governo Paulo Souto, objeto da ação do Ministério Público Federal que agora obriga o Estado a devolver a quantia”, lamentou Jonas Paulo.

Para o presidente do PT, a cobrança do MPF revela a responsabilidade do governo passado com a degradação das estradas na Bahia. “Eles sucatearam o DERBA, esvaziando todas as suas residências de engenharia, dizimando as patrulhas mecânicas existentes e transformando o órgão em instrumento burocrático-administrativo”, disse.

Ele aponta outras vias negligenciadas pela administração anterior, além dos trechos da licitação anunciados pelo DNIT na concorrência pública: “Laje-Jaguaquara, Juazeiro-Sento Sé, Malhada-Brumado-Vitória da Conquista são as que coincidem com trechos de BAs. O descaso também foi grande com as genuinamente estaduais, como a Estrada do Feijão, Irecê-Seabra, Morro do Chapéu-Jacobina e Juazeiro-Paulo Afonso”.

Lula quer que Wagner continue. Geddel já entendeu

Jonas Paulo, em nota enviada nesta quinta-feira (16) à imprensa, disse que as referências de Lula ao ministro Geddel Vieira Lima como desejo dele em manter a aliança entre PT e PMDB na Bahia é defendida inclusive pelos petistas locais. “Além de sustentar que o PT deve priorizar a reeleição dos seus governadores, (Lula) fez, de público, referência à atuação do ministro da Integração Nacional, em uma sintonia com a coesão defendida pelo PT baiano.

Lula se reuniu esta semana com a direção nacional do partido, em Brasília, e endossa que o peemedebista deve apoiar a candidatura à reeleição do governador Jaques Wagner, além de acreditar em uma nova vitória expressiva em 2010. “Nosso objetivo é a reeleição do governador Wagner e a consolidação da candidatura da ministra Dilma Roussef à sucessão presidencial. O PT vai envidar esforços para que a eleição na Bahia seja decidida no 1º turno, pois refletirá positiva e decisivamente na disputa nacional, que será polarizada, das forças da mudança se contrapondo à aliança demo-tucana”, declarou.

Exemplo de líder

O líder tucano no Senado, Arthur Virgílio (PSDB-AM), que pede a saída imediata do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), disse na quarta-feira (1º) que devolverá recursos à instituição advindos de sua farra confessa com o dinheiro público.

O polêmico tucano, que discursa enfaticamente em prol da ética, admitiu que utilizou verbas do Senado para pagar o ex-funcionário de seu gabinete, Carlos Alberto de Andrade Nina Neto. Segundo ele, embora seja assalariado do povo, com obeso salário e verba indenizatória, o débito irregular terá que sair do bolso da sua mulher. “A minha esposa vai vender parte dos seus bens para quitar esta dívida”, declarou em plenário. Dito por ele próprio como um exemplo de idoneidade, o amazonense pediu ainda a quebra de todos os sigilos do ex-diretor da Casa, Agaciel Maia.

Tucanagem

Durante viagem a Paris com a família, em 2003, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), recebeu em sua conta 10 mil dólares depositados pelo então diretor-geral do Senado Agaciel Maia, a título de ajuda emergencial.

A revelação é da revista IstoÉ, que circula neste final de semana. Na ocasião, Maia convocou o gerente da agência do Banco do Brasil no Senado, em pleno domingo, para ordenar a transferência.