18 setembro 2009

Bahia gera cerca de 44 mil empregos no ano

O estado acumula mais de 11 mil novos empregos em agosto

Em agosto, foram criados 11.085 novos empregos com carteira assinada na Bahia. O número é recorde na série histórica para esse mês e maior do que o encontrado em julho, mês imediatamente anterior, quando o saldo chegou a 9.729 postos. No Brasil, foram gerados 242.126 novos empregos no mês. O saldo também é recorde da série histórica para o período e o melhor resultado do ano, fazendo o País acumular 680.034 novos empregos em 2009. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED/MTE), divulgados com análise da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento.

Nos oito primeiros meses de 2009 (janeiro a agosto), a Bahia criou 43.975 postos de trabalho com carteira assinada, uma variação de 3,28%, acima das médias nacional (2,13%) e nordestina (0,79%). O número ainda não é superior aos 57.633 postos criados no mesmo período de 2008.

O secretário do Planejamento, Walter Pinheiro, recebeu com otimismo os novos dados do CAGED. “No acumulado do ano a Bahia teve um saldo positivo de 43.975 novos postos de trabalho, o que representa cerca de 15% a mais do total das vagas criadas no Nordeste no mesmo período, confirmando a liderança do estado na condução da política econômica da região”, ressalta Pinheiro, lembrando ainda que neste mesmo período o interior respondeu por 56% do total no estado, o que demonstra o acerto das políticas de descentralização das atividades econômicas do Governo da Bahia.

Segundo o corpo técnico da SEI, o saldo atual de 11.085 empregos confirma e consolida a recuperação do mercado de trabalho formal na Bahia, ratificando a tendência progressiva de ampliação do emprego nos meses de janeiro a agosto. Esse quadro reflete o abrandamento dos efeitos negativos da crise econômica e financeira internacional.

A abertura de postos com carteira assinada na Bahia concentrou-se nos Serviços (4.343 empregos), Construção Civil (3.780 vagas formais de trabalho) e Indústria de Transformação (2.491 postos). Por outro lado, a Agropecuária foi o único setor com resultado negativo no mês ao eliminar 2.449 postos.

Embora os destaques na criação de emprego continuem sendo os setores de serviços e construção civil, o diretor-geral da SEI, Geraldo Reis, chama atenção para o resultado da geração de empregos na indústria de transformação, com 2.491 postos, “o que sinaliza o aquecimento desse importante segmento, cujo perfil majoritário é a indústria de bens intermediários, que tenderá a ter sua demanda reforçada pelo retorno do dinamismo econômico do centro-sul do país e mesmo de alguns mercados do exterior”.

O diretor geral da SEI lembra que com este resultado a Bahia já superou o patamar de todo o ano de 2008 que foi de 41 mil postos, apostando que mesmo com possíveis retrações sazonais em novembro e dezembro é factível pelo menos manter o mesmo patamar.

Nenhum comentário: